Projeto de Teresina é escolhido por Agência Francesa para receber financiamento

0
Foto: Reprodução/Cidade Verde.

Representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento estão em missão em Teresina para conhecer o projeto Observatório da Mobilidade: blockchain para a co-gestão do transporte público. O projeto da prefeitura municipal de Teresina foi escolhido entre iniciativas de toda a América Latina para receber um investimento de € 500 mil do Fundo Europeu para o Clima. O projeto foi apresentado para os representantes da agência nesta segunda-feira (18).

O Observatório da Mobilidade foi elaborado pela equipe da Agenda 2030, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento Urbano. A Agência Francesa escolheu a iniciativa de Teresina entre projetos de toda a América Latina. O objetivo é melhorar a gestão do transporte público na cidade, diminuir o número de veículos nas ruas e, assim, contribuir para a redução da emissão de gases poluentes.

O projeto foi apresentado para a equipe da missão e diversos atores envolvidos com a gestão do transporte público, como membros da administração pública, das empresas que operam o sistema e representantes dos usuários. Na implementação do projeto, está prevista a formação de um comitê de observação, que terá acesso a diversos dados e relatórios sobre a operação do sistema de transportes. A intenção é tornar o sistema mais eficiente e mais atrativo para o usuário, fazendo com que seja mais interessante usar o transporte coletivo ao invés do veículo próprio, reduzindo o número de carros nas ruas e, consequentemente, a emissão de gases poluentes.

Representante da Agência Francesa de Desenvolvimento, Etieene Lhomet elogiou o aspecto colaborativo do projeto teresinense e o aponto como um exemplo a ser seguido em outros países. “A Agência Francesa de Desenvolvimento resolveu financiar esse projeto pensando na organização e na tecnologia do futuro, que pode preparar a transição da mobilidade em Teresina, nas cidades do Brasil e de forma mais geral pensamos que é muito interessante para todo o continente sul-americano. O que nos interessou muito na proposta da Prefeitura de Teresina é que existe uma vontade de fazer participar todo mundo, a prefeitura e também todas as operadoras e o cidadão”, disse Etieene Lhomet.

O prefeito Firmino Filho destacou a inovação do projeto pioneiro que está sendo implementado em Teresina. “Estamos aqui estabelecendo essa parceria com a comunidade econômica europeia. Nossa equipe da Agenda 2030, composta por arquitetos e técnicos da prefeitura, participaram de um composto de pesquisa no Euroclima e conseguiram com uma ideia inovadora a atenção daqueles que fazem esse processo. O projeto é bastante inovador porque ele busca utilizar o Blockchain, que é uma tecnologia é responsável por permitir que todas as operações sejam rastreadas e auxiliando na gestão, o que vai dar transparência absoluta ao transporte público”, afirmou o prefeito.

A coordenadora da Agenda 2030 em Teresina, Gabriela Uchôa, ressaltou as qualidades que fizeram o projeto se destacar e receber o investimento. “A gente concorreu com outros 75 projetos de toda a América Latina e fomos escolhidos na pré-seleção como representante do Brasil junto com outras cidades, e depois vencemos dentre outros 18 países que estavam concorrendo a essa chamada do Governo da União Europeia. A gente não só promoveu uma ação para melhorar o transporte, mas também a transparência da prestação de contas com investimento tecnológico, inovação e participação do cidadão”, explicou.

A missão da Agência Francesa de Desenvolvimento acontece entre segunda e terça-feira, com reuniões com todos os setores que serão envolvidos no projeto de co-gestão do transporte público em Teresina.

 

Fonte: Cidade Verde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here