Piauienses com mais de 60 anos se preparam para o Enem

0

Entre um sonho e a realização dele erguem-se 45 questões de matemática e suas tecnologias. A redação é importante, sim, mas é o de menos para quem trabalhou com o púbico e se aposentou estudando. Para as outras três provas – de ciências da natureza, humanas e linguagens-, Maria Francisca de Aragão, 64 anos, estuda todos os dias, como que subindo degraus à vaga no curso de Serviço Social da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), que almeja “desde quando era novinha”.

Na terceira idade, a aposentada, que lê muito e não perde telejornais, está entre os 317 piauienses com idade acima de 60 anos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 no Piauí, o que corresponde a 0,2% dos 122,338 candidatos totais no estado. Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), levantados pelo Jornal MN, ela integra o grupo que prestará o exame fora da faixa etária comum buscando uma segunda chance de ingresso no ensino superior.

Como já trabalhei muito com o povo em hospitais e clínicas particulares, sempre quis o curso de Serviço Social, porque combina assim comigo. Me aposentei e voltei à sala de aula em 2012, terminei meu Ensino Médio e fiz cursinho para prestar o Enem”, declara Maria Francisca, que se aposentou estudando, alimentando o desejo a vida toda.

Em todo país, 9.846 pessoas com mais de 60 anos estão inscritos no Enem. O grupo representa apenas 0,2% do universo de 5.095.308 inscritos para a prova

 26% dos candidatos do Piauí têm entre 21 e 30 anos

Atualmente, a aposentada que já cursou a Educação de Jovens e Adultos (EJA), estuda para o Enem em casa. O exame se tornou um dos principais instrumentos de seleção para escolha de um curso superior. Prova disso é que 26% de todos os candidatos do Piauí têm idade entre 21 e 30 anos, representando a maior parcela das inscrições – tendência que se repete no âmbito nacional. O número de pessoas que já possuem o Ensino Médio mostra que o perfil e os objetivos do Enem evoluíram para além de um diagnóstico, tornando-o oportunidade para quem quer uma vaga na faculdade – independentemente da idade.

De acordo com a especialista em Gestão Educacional e diretora de um centro de EJA, Amélia Rolim, a defasagem de conteúdo é a maior dificuldade de quem não presta o Enem. “Eles tão logo concluem o Ensino Médio, já que alguns deixam de estudar antes de terminar, seja por dificuldade de aprender, seja por motivos pessoais”. Por outro lado, ela avalia que a maturidade de candidatos mais velhos contribui para melhorar o aprendizado e ampliar as chances de vaga em universidade.

A maratona começa no domingo, 3 de novembro, com a aplicação das provas de Linguagem, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Redação. Já os exames de Matemática e Ciências da Natureza serão realizados em 10 de novembro.

 

 

 

Fonte: Jornal MN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here