Motoristas deixam terminal de petróleo, mas protestos continuam em 5 cidades

0
Interdição em Teresina acontece no KM 1 da BR-316 (Foto: Roberto Araújo/G1)

A greve dos caminhoneiros chegou ao 7º dia no Piauí, nesta segunda-feira (28), mantendo protestos em rodovias federais e estaduais. No terminal de petróleo, em Teresina, a Associação dos Motoristas de Aplicativos do Piauí decidiu nesta manhã deixar o local, ponto de manifestação da categoria desde a última quinta-feira (24). A Polícia Militar comunicou à categoria na noite desse domingo (27) que uma ordem judicial autorizava a retirada, mas os manifestantes começam a sair voluntariamente.

Desde sexta-feira (25), Teresina e outras cidades do Piauí já sofriam com a falta de combustível. A interdição do terminal impedia a saída de caminhões-tanque e a prefeitura de Teresina decretou situação de emergência devido ao desabastecimento.

A coronel Júlia Beatriz, do comando de gerenciamento de crises da PM-PI, informou que apesar do acordo com os motoristas, populares chegaram ao local nesta segunda-feira e mantém parte do bloqueio na saída do terminal, impedindo a saída de caminhões. Apenas quatro caminhões saíram do terminal com escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para abastecer veículos que prestam serviços essenciais, como viaturas policiais.

Motoristas de aplicativo decidiram deixar terminal de petróleo de Teresina (Foto: Lorena Linhares/G1)

“Eles tinham até hoje 8h e foram favoráveis à saída. O problema é que chegaram pessoas que nunca estiveram aqui e estão tensionando a situação. Eles vão assumir a responsabilidade individual pelo seus atos. Estamos esperando a saída dos motoristas, que estavam negociando com a gente até hoje”, declarou.

A previsão é de que, com a saída dos manifestantes, a circulação de caminhões-tanque comece a acontecer. A retenção desses veículos tem impactado diretamente no desabastecimento de postos de combustíveis na capital. Nesta segunda-feira (27), segundo o Sindicato dos Postos de Combustíveis, apenas 5% dos postos da capital tinham gasolina, etanol ou diesel.

Rodovias

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, há quatro cidades piauienses com rodovias federais onde os caminhoneiros mantém protestos. Em Uruçuí, uma rodovia estadual também tem protestos e interdição. Os bloqueios, desde o início da greve, são apenas parciais e ainda não houve necessidade de intervenção da polícia.

Interdição em Teresina acontece no KM 1 da BR-316 (Foto: Roberto Araújo/G1)

Apenas veículos de carga ficam retidos pelos manifestantes. Segundo a PRF, nesta segunda-feira há interdição parcial nas cidades de Picos, no KM 326 da BR-316; em Teresina, no KM 1 da BR-316; em Bom Jesus, no KM 351 da BR-135 e no KM 306 da BR-230, em Floriano.

Edivan Ferreira contou que, por parte dos caminhoneiros, o protesto continua. Ele informou ser o porta voz de Teresina do movimento “Caminhoneiros pelo Brasil” e informou que a proposta do governo federal, de redução do preço do diesel, não contempla toda a reivindicação da categoria, que também pede a redução do valor do etanol e da gasolina. Ele afirma que o movimento é formado por caminhoneiros independentes, sem sindicato ou associação.

Em Uruçuí, protesto continua na PI-247 (Foto: Eduardo Gomes Lima/Arquivo pessoal)

Em Uruçuí, os caminhoneiros dizem que já reúnem 700 caminhões às margens da PI-247. O protesto também continua de forma independente e eles dizem que não aceitam a proposta do governo federal.

“Eles vão diminuir agora e depois aumentar de novo. E nós temos família, temos que abastecer com álcool e gasolina os carros menores, encher o tanque é um absurdo, não vamos aceitar isso. Vamos manter, porque conseguir essa mobilização vai ser muito difícil novamente e estamos unidos e fortes nesse momento”, disse o caminhoneiro Eduardo Gomes ao G1.

Em Floriano, protestos e interdições parciais ainda continuam. (Foto: Reprodução/Repórter Amarelinho)
 Fonte: G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here