Equatorial Piauí quer cadastrar mais 200 mil famílias na Tarifa Social

0

Energia é um item essencial para as famílias brasileiras e a Equatorial Piauí sabe que um bom desconto na conta faz toda a diferença no orçamento mensal. Essa vantagem já é realidade por meio da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), benefício criado pelo Governo Federal.

No entanto, muita gente que tem direito à Tarifa Social ainda não se cadastrou para receber desconto em suas faturas de energia. No Piauí, já foram cadastradas 312 mil famílias e de acordo com levantamento atual, ainda restam 202 mil famílias que preenchem os requisitos necessários para o programa e podem ser beneficiados.

Para aproveitar a Tarifa Social, é preciso que as famílias sejam reconhecidas como de baixa renda. Dependendo do consumo no domicílio, o desconto pode ser de até 65% sobre o valor da conta de energia. As residências com menor consumo têm descontos maiores, o que significa que é importante para a família ter boas práticas de economia com a energia elétrica. Para que o cliente possa ter direito ao desconto, não é necessário que o beneficiário do programa seja o titular da conta de energia. O Cadastro da Tarifa Social, pode ser preenchido por qualquer membro da família, que possua o Número de Identificação Social para ser incluído no programa.

É bom lembrar não é necessário que o cadastro seja feito apenas com o titular da conta de energia, pois o programa permite que qualquer integrante da família que possua o Número de Identificação Social, possa ser o cadastrado para beneficiar a família.

Mas quem tem direito a receber o benefício da Tarifa Social Baixa Renda? Para ter acesso ao benefício, é necessário que as famílias estejam com os dados do Cadastro Único em dia e possuam o Número de Identificação Social (NIS) e preencham requisitos de renda que podem ser conferidos no site da Equatorial Piauí. Mas muita atenção: cada família só pode ter o benefício em uma residência. Se possuir mais de uma, deverá optar.

Para Juliana Duarte, Gerente de Gestão Comercial da Equatorial Piauí, traz vantagens tanto à população quanto para o sistema elétrico do Estado. “A Equatorial quer que mais famílias possam aqui no Piauí ter acesso ao benefício, possibilitando uma conta menor, que o cliente consegue pagar com facilidade, gerando recursos. Assim, a Distribuidora consegue investir cada vez mais na distribuição e melhoria da energia’’, destaca a gerente.

Visualizando esse cenário, a Equatorial Piauí passou a oferecer, além do cadastro nas suas agências de atendimento, o cadastro no Programa da Tarifa Social por meio dos leituristas, que diariamente estão em contato direto com os clientes em suas casas.  Mais de 1.150 novas famílias já foram cadastradas desde o início desse ano graças à atuação dos leituristas.

Durante sua visita, os leituristas explicam mais sobre a Tarifa Social para as famílias e caso haja interesse, podem rapidamente realizar o cadastro, onde serão necessários fornecer apenas o NIS, o código único da unidade consumidora e a apresentação de um documento com foto (exclusivo para base de dados da Equatorial Piauí), ressaltando que nenhum tipo de cópia é necessária.

Após o cadastro, o cliente pode verificar a mudança em sua próxima fatura, no espaço sobre classe/subclasse, que será alterado para “residencial baixa renda”. Para a sua própria segurança, a população deve lembrar que os leituristas da Equatorial Piauí são identificados pelo uniforme, crachá com nome do profissional e a marca da empresa que presta serviço para a distribuidora e que, na abordagem, apresentam o código da unidade consumidora, chamando pelo nome do titular da fatura de energia.

Quem já é cadastrado no programa cabe reforçar que deve mantê-lo atualizado, a cada dois anos, na prefeitura do seu município, por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). O cadastro desatualizado pode ensejar a perda do benefício. Para maiores informações sobre a Tarifa Social, consulte a Central de Relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, ligando para o telefone 0800 707 2003.

 

 

Fonte: 180 Graus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here