Construção civil do Piauí registra metade das mortes por acidente de trabalho

0

O Piauí registrou 96 mortes por acidentes de trabalho de 2012 a 2018. Destes, 46 ocorreram na indústria de construção civil. Isso representa, aproximadamente, 48% do total de óbitos. Os dados são de um levantamento feito pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-PI).

Nesse período, o Ministério Público do Trabalho (MPT-PI) recebeu 84 denúncias. Também foram abertos 220 inquéritos civis. O maior problema, porém, é a subnotificação dos casos. O Brasil registrou 549 mil acidentes, mas entidades acreditam que o número pode ser maior, entre leves e graves.

As situações mais comuns em que os acidentes aconteceram foram:

  • choques elétricos;
  • soterramento;
  • queda de altura;
  • queda de material sobre o trabalhador.
(Fonte: MPT-PI)

PLANEJAMENTO

Para a auditora fiscal do Trabalho, Flávia Lorena Lopes, a base do problema está na falta de planejamento e análise de riscos.

“O empregador não se antecipa para prevenir o acidente. Falta também capacitação do trabalhador para gerir os riscos ocupacionais. O típico acidente de Teresina se dá por choque elétrico, porque são montadas estruturas improvisadas muito próximas à rede da rua. Não providenciam a proteção na rede junto à Eletrobras, o que é uma falha no planejamento de estrutura. Essa ausência da análise de risco ocasiona acidentes fatais, que acontecem tanto em obras grandes como pequenas”, explica a auditora fiscal.

Essa crítica é compartilhada pela procuradora do Trabalho Maria Elena Rego. Atividades como estas, apresentam riscos à saúde e à vida do trabalhador, sobretudo, porque muitos trabalham informalmente ou empresas não se preocupam em fornecer todos os equipamentos de segurança.

“Eu diria que 100% dos casos de acidentes de trabalho que chegam a essa Procuradoria foram provocados pelo descumprimento de normas básicas de segurança. É realmente uma situação de completo descaso com a prevenção”, denuncia.

NÚMEROS PREOCUPAM

Dados do MPT apontam que, desde 2012, o Piauí registrou 144 mortes por acidentes de trabalho. Isso corresponde a um óbito a cada 18 dias. Além disso, entre 2012 e 2017, o Estado registrou mais de 10 mil acidentes com feridos leves ou graves. Já o Brasil registrou um acidente de trabalho a cada 48 segundos e uma morte a cada três dias.

Entre os anos de 2012 e 2017, o Piauí registrou 8,6 mil casos, sendo a maior parte deles em Teresina. Segundo o órgão, a capital somou 6,4 mil ocorrências nos últimos cinco anos. As ocorrências mais frequentes foram fraturas (2.031), corte, laceração, ferida e contusão (1.631), contusão ou esmagamento (803) e distensão ou torção (757).

PREVENÇÃO

Para prevenir acidentes em canteiros de obras, é necessário cumprir requisitos básicos, como:

  • manter a obra organizada;
  • obedecer às Normas Reguladoras (que dispõem sobre as corretas instalações nos canteiros de obras, a fim de evitar choques elétricos, quedas e soterramentos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores);
  • capacitar os colaboradores, além do fornecimento e uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), além de garantir que sejam realmente utilizados.

Fonte: Oito Meia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here